segunda-feira, 18 de julho de 2022

Programa Melhore! - Versão EAD

 Programa Melhore! no ar!


Eu acho interessante como as pessoas usam tanto no ambiente corporativo expressões como Power Skills, Inteligência Emocional e Liderança, dentre outras, mas na hora de escolherem programas de capacitação acabam indo mais para o lado das Hard Skills. Nada contra, até porque são necessárias no mercado de trabalho, mas depois estas mesmas pessoas reclamam de dificuldades de relacionamento com chefe, colegas ou subordinados, e não conseguem enxergar que a causa está na maioria das vezes dentro delas mesmas. Eu enxerguei isto de forma muito clara por volta de 2004-2005, quando decidi investir na capacitação nestas competências, um aprendizado que deve ir até o fim da minha vida.

Não tem jeito, ao invés de ficarmos reclamando e tentando mudar as outras pessoas, só nos resta mudar a nós mesmos de forma a buscar um impacto positivo nos nossos relacionamentos. Como? Lendo e estudando sobre estes temas, conversando mais com outras pessoas, em especial aquelas que pensam diferente de nós, e principalmente colocando em prática tudo o que aprendemos neste processo, uma espécie de "ciclo PDCA comportamental".

Pois bem, eu acabei de colocar no ar na plataforma do Hotmart todo o conteúdo do meu Programa Melhore! de capacitação em Power Skills (competências comportamentais) em modo EAD assíncrono (sob demanda) e dividido em oito módulos. 

Link para página de vendas no Hotmart




Eu acredito que sou hoje uma pessoa muito melhor do que era há 18 anos, e me esforço todos os dias para ser uma pessoa ainda melhor daqui a outros 18, pelo menos! E você?




 #melhore #inteligenciaemocional #powerskills 

 *** Belo Horizonte, 18 de julho de 2022

domingo, 10 de julho de 2022

Power Skills e IE no CBGPL

Em sua palestra como keynote speaker no CBGPL (Congresso Brasileiro de Gerenciamento de Projetos e Liderança, promovido pelos capítulos do PMI no Brasil) ontem aqui em Belo Horizonte, Roberto Toledo, membro do Board mundial do PMI, citou mais de 50 vezes as expressões Power Skills (agora um dos lados do Triângulo de Talentos do PMI - falei sobre isto em meu podcast com o André Choma a respeito e que pode ser acessado aqui: A importância das Power Skills para o Gerenciamento de Projetos) e Inteligência Emocional como competências essenciais para os desafios do mundo de hoje. 


Roberto Toledo em palestra no CBGPL

Uma curiosidade: eu e Roberto fomos colegas na turma do LIMC (Leadership Institute Master Class) de 2011-2012, que se formou em outubro de 2012 em Vancouver, no Canadá (em breve devo fazer um tbt sobre isto). A curiosidade é que se trata de um programa focado justamente em... Power Skills (que naquela época não eram chamadas assim, ficavam todas meio que embaixo do termo Liderança). 

Eu acho interessante como as pessoas usam tanto expressões como Power Skills, Inteligência Emocional e Liderança, dentre outras, mas na hora de escolherem programas de capacitação acabam indo mais para o lado das Hard Skills. Nada contra, até porque também fazem parte do Triângulo de Talentos e são necessárias no mercado de trabalho, mas depois estas mesmas pessoas reclamam de dificuldades de relacionamento com chefe, colegas ou subordinados, e não conseguem enxergar que a causa está na maioria das vezes dentro delas mesmas. 

Não tem jeito, ao invés de ficarmos reclamando e tentando mudar os outros, só nos resta mudar a nós mesmos de forma a buscar um impacto positivo nos nossos relacionamentos. Como? Lendo e estudando sobre estes temas, conversando mais com outras pessoas, em especial aquelas que pensam diferente de nós, e principalmente colocando em prática tudo o que aprendemos neste processo, que deve ser contínuo. 

 Eu acredito que sou hoje uma pessoa muito melhor do que era há 15 anos atrás, e me esforço todos os dias para ser uma pessoa ainda melhor daqui a 15 anos. E você?

 #melhore #inteligênciaemocional #powerskills 

 *** Belo Horizonte, 10 de julho de 2022

sexta-feira, 3 de junho de 2022

Psicologia Positiva e Modelo PERMA

Martin Seligman é um psicólogo americano que compilou os princípios do que hoje se conhece como Psicologia Positiva.

 

Martin Seligman


A Psicologia Positiva (PP) estuda o que nos faz sentir que a vida vale a pena.

Ela foi estruturada por Martin Seligman no período em que ele foi Presidente da American Psychological Association (APA), no final da década de 1990.

Ele se declarou incomodado com o fato de, no último meio século, a psicologia ter focado tanto em um único tópico: doença mental.

Partindo do trabalho de psicólogos humanistas como Abraham Maslow, Rollo May, James Bugental e Carl Rogers, que apresentava uma ênfase em felicidade (palavra complicada!), bem estar e positividade, ele criou as fundações da PP, capturadas em seu primeiro livro mais focado no tema (inclusive no título), “Authentic Happiness: Using the New Positive Psychology to RealizeYour Potential for Lasting Fulfillment”, de 2001.

 


Enquanto o tema Psicologia Positiva e Felicidade por si só possa render um curso inteiro, eu aqui quero focar num instrumento muito rico e útil desenvolvido por Seligman e apresentado em seu livro “Flourish”/"Florescer", de 2011. Trata-se do “Modelo PERMA de Bem Estar”.

 



 

"PERMA" é um acrônimo que combina as iniciais em inglês dos cinco elementos essenciais que, segundo Selgiman, devemos buscar possuir em nossas vidas de forma a termos uma experiência de bem estar duradoura. Estes são:

1. (P) Positive Emotion – Emoção Positiva

Para experimentarmos bem estar precisamos de emoções positivas em nossas vidas. Qualquer emoção positiva como gratidão, paz, prazer, inspiração, esperança, curiosidade ou amor entra nesta categoria, e precisamos saber reconhecê-las, apreciá-las e até mesmo buscá-las em nossas vidas.




 “Carpe Diem” 

Frase em latim que significa "aproveite o dia", que o personagem Professor Keating, interpretado pelo grande Robin Williams, costumava dizer aos seus alunos no filme “Sociedade dos Poetas Mortos”.

 

2. (E) Engagement - Engajamento

Quando nós estamos efetivamente engajados numa situação, tarefa ou projeto, nós experimentamos um estado de “flow”: o tempo parece ficar suspenso, perdemos nosso senso de identidade (no bom sentido), e nos concentramos de forma intensa no momento presente.

É claro que não temos como viver 100% neste estado, mas ele é importante em nossas vidas e devemos buscá-lo de forma proposital, no trabalho, lazer, esporte etc. Aqueles de nós que possuem filhos devem ter ótimas lembranças dos tempos em que ficaram totalmente por conta de brincar com os filhos pequenos. Quando mais temos este engajamento em nossas vidas, é mais provável que experimentemos uma sensação de bem estar que muitas vezes vai além do fim do engajamento em si.


3. (R) Positive Relationships – Relações Positivas

Não tem jeito, como humanos somos “seres sociais”, e bons relacionamentos estão na essência do nosso bem estar.

Pessoas que possuem relações (sejam elas românticas ou de amizade, o que vale aqui é o afeto) significativas e positivas com outras pessoas tendem a ser mais “felizes” do que as que carecem deste tipo de relação. Mas cuidado, neste caso qualidade conta muito mais do que quantidade!


4. (M) Meaning – Significado

Significado decorre de server a uma causa maior do que nós mesmos. Esta pode ser uma religião, trabalho comunitário, família, política, caridade, ou um objetivo profissional ou criativo que nos faça sentir parte de algo maior do que nós mesmos.


5. (A) Accomplishment – Realização

Todos precisamos de uma vitória de vez em quando. Aquela sensação de “Eu fiz, e fiz bem feito”. Devemos sempre buscar um crescimento pessoal (que se reflete no profissional). Isto pode se dar através de um projeto bem sucedido, uma conquista pessoal, o domínio de uma nova língua, algo que nos faça sentir bem por termos alcançado algo que buscamos.

 

É possível termos os 5 elementos simultaneamente em nossas vidas e assim sermos “felizes” o tempo todo? Acredito que não, mas podemos (na verdade devemos) tentar, e este esforço, além de nos trazer momentos de bem estar, certamente fará com que a gente se sinta cada vez melhor!

P.S.: o Modelo PERMA de Bem Estar é um dos tópicos que abordo na versão EAD do Programa Melhore!, que espero lançar em breve.

#PERMA #psicologiapositiva #melhore #getbetter


*** Belo Horizonte, 03 de junho de 2022

sexta-feira, 13 de maio de 2022

ESG e Projetos de Capital

Nos últimos anos tenho ouvido cada vez mais o termo ESG. Ele vem do inglês Environmental (Ambiental, E), Social (Social, S) e Governance (Governança, G). Ao invés de descrever aqui o que é ESG e qual a sua importância na vida das pessoas e organizações eu recomendo esta matéria no Valor Econômico sobre o tema:


Entenda o que é ESG e por que a sigla é importante para as empresas 

(Valor Econômico, 21-fev-2022)


Citação feita na matéria:

"Segundo relatório da consultoria e auditoria PwC, 57% dos ativos de fundos mútuos na Europa estarão em investimentos que consideram os critérios ESG até 2025. Isso representa cerca de US$ 8,9 trilhões. Além disso, 77% dos investidores institucionais pesquisados pela PwC disseram que planejam parar de comprar produtos não ESG nos próximos dois anos."

Ok, mas o que ESG tem a ver com projetos de capital? Com base na citação acima eu diria: muito! Mas antes deixa eu explicar o que é um projeto de capital:

Projetos de capital são aqueles que possuem as seguintes características:

  • Implicam em aumento de capacidade do sistema de produção ou logístico;
  • Demandam aprovação executiva para início das obras;
  • Provocam significativo impacto sócio-ambiental na região (ou mesmo no país) em que serão implantados.
Fonte"Utilização prática de métodos de seleção e priorização de projetos alinhados à estratégia da empresa": apresentação feita no evento “PORTFOLIO MANAGEMENT STRATEGIES - 2ª EDIÇÃO”, IQPC, Rio de Janeiro, em outubro de 2009.

A questão relevante aqui está piincipalmente no último ponto, que fala de impacto sócio-ambiental. Este possui relação direta com ESG, e organizações que desenvolvem projetos de capital precisam ficar atentas a isto, buscando não somente gerenciar este impacto de forma a minimizar o impacto negativo e maximizar o impacto positivo, mas também sinalizar para o público que elas estão atentas e atuando sobre estas questões. E como isto pode ser feito? Existem é claro várias formas, mas na minha opinião um excelente guia são os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (Sustainable Development Goals (SDGs) da Agenda 2030 da ONU para o Desenvolvimento Sustentável:




Ok Ivo, e como começo a tratar ESG nos meus projetos com base nestes 17 Objetivos? Aqui vai um pequeno roteiro:

  1. Envie o link acima para os integrantes da equipe do seu projeto e peça que cada um leia o que está no link a respeito de cada objetivo, tendo em mente o que acha que o projeto pode fazer de forma a contribuir com aquele objetivo específico, fazendo anotações.
  2. Promova uma sessão de brainstorming com a sua equipe com o objetivo de listar e consolidar ações concretas que podem ser incorporadas ao projeto de forma a contribuir com alguns dos 17 ODSs.
  3. Consolide esta lista em um plano de ação, busque aprovação da direção da empresa e as incorpore ao escopo do projeto.
  4. Nas reuniões de acompanhamento do projeto passe a acompanhar, além de avanço físico, status dos riscos, aderência financeira e outros indicadores, a aderência do projeto às ações de ESG definidas, e se elas estão gerando os resultados esperados.
Sim, eu sei que é simples e tem organizações fazendo coisas muito mais complexas que isto. Mas sei também que muitas não estão fazendo nada, e o que está aí em cima pode ser um bom começo!

E se você é líder em sua organização eu gostaria de sugerir que você procure dar uma atenção especial não somente à saúde física, mas também à saúde mental e emocional de suas equipes. Para começar considere, junto com seus colegas de direção na organização, o que você pode fazer por suas equipes para atender os objetivos 3, 5 e 10. Lembre-se, boas práticas de ESG começam dentro de casa!

#esg #sustentabilidade #projetosdecapital #diversidade


*** Belo Horizonte, 13 de maio de 2022

sexta-feira, 31 de dezembro de 2021

Vamos dialogar mais em 2022?

 Eu sou grande fã do Professor Humberto Mariotti, uma importante referência sobre Pensamento Complexo. Há pouco indiquei para um aluno a leitura e reflexão sobre este excelente artigo do Professor sobre diálogo, e achei interessante compartilhar por aqui:

"Diálogo: um Método de Reflexão Conjunta e Observação Compartilhada da Experiência"




Trecho extraído da parte final do artigo:

1. "A mente faz parte do cérebro; o cérebro faz parte do corpo; o corpo faz parte do mundo; logo, a mente não é separada do mundo.

2. A realidade de um indivíduo é a visão de mundo que sua estrutura lhe permite perceber num dado momento. A estrutura muda sempre, de modo que essa compreensão, que num dado instante parece fora de dúvida e definitiva, pode não sê-lo mais tarde.

3. Enquanto permanecer apenas individual, qualquer compreensão de mundo será precária. Por isso, é preciso ampliá-la.

4. Com quanto mais pessoas conversarmos sobre nossas percepções e compreensões, melhor. Quanto maior a diversidade de pontos de vista dessas pessoas, melhor ainda.

5. Se uma conversa produzir em nós tendência a achar que não ouvimos nada de novo, é bem provável que estejamos na defensiva."

É como disse o genial Raul Seixas:

"Eu prefiro ser essa metamorfose ambulante
Do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo"


#dialogo #diversidade #reflexao #pensamentocomplexo #humbertomariotti #raulseixas #metamorfoseambulante

*** Belo Horizonte, 31 de dezembro de 2021

quinta-feira, 30 de dezembro de 2021

Transforme-se!

 


Gostou da frase de Viktor Frankl acima? Então sugiro conferir a sua obra maior, que recomendo fortemente:





A frase de Frankl está em total sintonia (e pessoalmente até acho que complementa) com a Oração da Serenidade de Santo Agostinho, que diz:

"Deus, concede-me o desprendimento para aceitar as coisas que não posso alterar; a coragem para alterar as coisas que posso alterar; e a sabedoria para distinguir uma coisa da outra”.

#transformacao #melhore #crescimento #santoagostinho #viktorfrankl


Um abraço, Boas Festas e um excelente 2022 pra você e seus entes queridos!

*** Belo Horizonte, 30 de dezembro de 2021

quinta-feira, 23 de dezembro de 2021

Você já foi gentil hoje? (Parte 2)

 Esta postagem complementa a anterior, em que falei sobre gentileza na visão de Piero Ferrucci em seu livro “A Arte da Gentileza”.

Eu queria comentar os resultados de uma enquete que fiz no LinkedIn e fazer alguns comentários pessoais sobre o tema. A enquete foi esta:




Enquete sobre gentileza feita no LinkedIn em dezembro deste ano


97% das pessoas praticaram ou pretendiam praticar um ato de gentileza no dia em que respondeu. 3% não o fizeram e não acham isto importante. Sobre estes últimos eu entendo que possuem seus próprios motivos e não me cabe julgar. Mas 97% é um número que me dá muita esperança para 2022!

Algumas pessoas comentaram comigo sobre esta frase de José Datrino, o Profeta Gentileza:


"Gentileza gera gentileza."


Eu concordo com a frase, porém não no sentido que muitos imaginam, que é o de que se formos gentis com os outros estes serão gentis conosco. Infelizmente não temos nenhuma garantia de que isto irá ocorrer, pois cada um é senhor de si. E daí vem minha concordância: se pratico um ato de gentileza irei me sentir bem e terei vontade de continuar praticando, independentemente das consequências do meu ato! A gentileza é uma qualidade intrínseca do ser humano, algo que o Profeta Gentileza capturou muito bem em outra de suas frases, esta menos conhecida:


"A gentileza é como a criança dentro de nós, basta deixar que ela exista."


Minhas duas filhas (9 e 12 anos) decidiram entrar para o Escotismo este ano, e três coisas MUITO legais que elas devem buscar praticar no movimento são o espírito de equipe, a inclusão e a ajuda ao próximo. Isto é, devem buscar ser gentis dentro e fora do grupo, de forma deliberada, o que acho que vai contribuir muito para a formação das duas como pessoas responsáveis.

Termino com algumas dicas de como podemos praticar a gentileza:

  1. Julgue menos, ouça mais.
  2. Seja grato e expresse isto de forma clara e direta.
  3. Procure se lembrar que você não é o Centro do Universo (pois não é mesmo!).
  4. Também procure se lembrar da importância do amor, em todas as suas formas.
  5. Ofereça ajuda sempre que possível.
  6. Aceite o outro como ele é, e não como você gostaria que ele fosse.
  7. Procure perdoar, aos outros e a você mesmo.


Um abraço, Boas Festas e um excelente 2022 pra você e seus entes queridos!

*** Belo Horizonte, 23 de dezembro de 2021